Yussef Ali Abdouni - Doctoralia.com.br
Especialista em mãos

Artigos

O que é?

A artrose nas mãos é uma doença crônica e degenerativa – ou seja, que persiste e piora com o tempo. Como o próprio nome já indica, esse tipo de artrose afeta as articulações entre os ossos das mãos, causando dor, dificuldade de movimentos e, eventualmente, inchaço.

A artrose se caracteriza justamente pelo desgaste ou degradação da cartilagem,  responsável por amortecer e minimizar a fricção e o atrito entre os ossos que compõem as articulações da mão. Frequentemente há inflamação associada e o termo artrite também pode ser empregado para definir esta condição.

A artrose pode ocorrer em qualquer articulação, isto é: na região do punho (entre os ossos do carpo); entre as falanges, que são os ossos que compõem os dedos; ou entre o rádio e o carpo. A rizartrose é também um tipo de artrose nas mãos, e acomete especificamente o polegar, na base do 1º metacarpo.

A rizartrose e a artrose que ocorre nas extremidades dos dedos (entre as falanges média e distal) costumam ser os tipos mais comuns da patologia. Isso acontece por estas serem as articulações mais expostas e mais frequentemente sobrecarregadas das mãos.

Quais as causas?

A artrose nas mãos acontece, como já vimos, com o desgaste das cartilagens que estão localizadas entre os ossos das mãos e que são responsáveis por  garantir que os movimentos ocorram sem atritos e, consequentemente, sem causar danos à articulação. Com o desgaste, as cartilagens se tornam mais finas, deixando os ossos expostos e limitando a mobilidade.

Esse desgaste das cartilagens pode ser agravado por diversos motivos, ainda que se trate de um processo natural do envelhecimento.

Dentre os motivos, estão:

- Fraturas;

- Infecções;

- Predisposição genética;

- Uso excessivo das mãos no trabalho.

Qual o grupo de risco?

Além de idosos, também fazem parte do grupo de risco pessoas que possuem histórico familiar da doença, mulheres na menopausa e pessoas que fazem bastante uso das mãos no dia a dia ou no trabalho (pintores, pedreiros, empregadas domésticas, atletas de esportes que envolvem as mãos, entre outros).

Hoje em dia, se discute ainda o uso excessivo dos smartphones como um possível risco para a articulação das mãos – já que cada vez mais os aparelhos e suas funções fazem parte do dia a dia, fazendo com que os dedos das mãos também sejam muito mais utilizados.

Sintomas

A dor nas mãos é o principal sintoma da artrose nas mãos, que pode se concentrar no local mais afetado ou ser sentida em toda a articulação – a dor é, ainda, um fator importante e que pode indicar uma possível inflamação, além do desgaste.

Outros sintomas possíveis são:

- Rigidez (geralmente pior pela manhã);

- Sensação de atrito e estalos entre os ossos;

- Dificuldade de realizar movimentos simples ou mobilidade reduzida;

- Inchaço;

- Sensação de formigamento;

- Deformação dos dedos, quando ocorre desvio das falanges.

Diagnóstico

O diagnóstico da artrose pode ser facilmente feito por um médico ortopedista. Nestes casos, recomenda-se que o paciente procure, sempre que possível, um médico ortopedista especialista em mãos que poderá avaliar melhor o caso.

No primeiro momento, o médico avaliará a condição do paciente, procurando nódulos, deformidades e estalos. Dependendo da idade ou histórico apresentado pelo paciente, é comum que o médico ortopedista especialista em mãos solicite também alguns exames  para a confirmação das suspeitas e realização do diagnóstico mais preciso. É neste momento, também, que se verifica a possibilidade de haver outras lesões ou doenças relacionadas, como a artrite reumatoide ou gota por depósito de ácido úrico.

O raio-x é o exame mais utilizado e adequado para o diagnóstico da artrose nas mãos e geralmente suficiente para enxergar totalmente a condição dos ossos e cartilagens, além de descartar outros possíveis diagnósticos.

Tratamento

Por se tratar de uma doença degenerativa e crônica, o tratamento para artrose nas mãos tem como objetivo aliviar a dor do paciente e recuperar ao máximo os movimentos. As recomendações ou uso de medicamentos vão depender completamente do diagnóstico e das especificidades de cada caso. Quando há inflamação, por exemplo, o tratamento é feito com a ajuda de medicamentos anti-inflamatórios. Já quando há muita dor e uso excessivo da articulação, pode ser necessário algum tempo de repouso. O uso de equipamentos como a órtese pode ser útil na realização das atividades do dia a dia.

Não existem medicamentos ou algum outro tipo de tratamento convencional que consiga recompor a cartilagem, mas existem diversas maneiras de aliviar os sintomas e melhorar a função das mãos, prevenindo deformidades, recuperando e promovendo a qualidade de vida do paciente. O paciente deve conversar com o médico de sua confiança para encontrar a melhor solução para o seu caso.

Como a artrose é uma doença que tende a piorar com o tempo, em casos específicos pode haver ainda a possibilidade de se realizar um tratamento cirúrgico – principalmente quando há acentuado grau de deformidade, dor e perda de movimento da articulação, ou quando não há melhora com o tratamento clínico.

Em caso de dor nas mãos, o paciente deve procurar rapidamente por um médico ortopedista especialista em mãos. Quanto antes for iniciado o tratamento, melhores serão as chances de recuperação da articulação, sendo possível até mesmo retardar a degeneração natural das cartilagens e minimizar os sintomas e dificuldades.

Consultório Tatuapé

Rua Apucarana, 1312
Tatuapé - São Paulo - SP
CEP: 03311-002

Tel: (11) 2615-2787

Veja o mapa

Consultório Perdizes

Rua Apiacás, 85
Hospital Albert Einstein - Unidade Perdizes
Pompeia - São Paulo, SP
CEP: 05017-020

Agendamento pelo Whatsapp: (11) 97658-6469

Veja o mapa