Yussef Ali Abdouni - Doctoralia.com.br
Especialista em mãos

Artigos

A resposta a esta questão passa por um exame clínico cuidadoso, associado a exames radiológicos adequados. É importante determinar qual (ou quais) ossos foram acometidos, se a fratura é articular ou não e se ela apresenta um traço simples ou é cominutiva (vários fragmentos). A partir desta avaliação, determinamos a melhor estratégia de tratamento para atingir o objetivo desejado.

A grande maioria das fraturas ainda têm como primeira opção o tratamento conservador, ou seja, é feita a manobra de redução para alinhar a fratura, quando houver desvio, e aplicada uma imobilização gessada, que é mantida por 4 a 8 semanas, dependendo do osso fraturado. Em geral, o tratamento conservador traz bons resultados, tendo como inconvenientes apenas o tempo prolongado de imobilização e, consequentemente,  longos períodos de afastamento das atividades.

Já o tratamento cirúrgico, apesar de  mais agressivo, proporciona um reestabelecimento mais preciso da anatomia e uma reabilitação mais precoce uma vez que, normalmente, não requer imobilização. A queixa mais relatada pelos pacientes que realizam a cirurgia é a dor e o inchaço nos primeiros dias do pós-operatório.

A decisão sobre qual o melhor método para tratar uma determinada fratura sempre passará pela avaliação do especialista, quando o paciente deverá aproveitar para tirar todas as suas dúvidas.

Consultório Tatuapé

Rua Apucarana, 1312
Tatuapé - São Paulo - SP
CEP: 03311-002

Tel: (11) 2615-2787

Veja o mapa

Consultório Perdizes

Rua Apiacás, 85
Hospital Albert Einstein - Unidade Perdizes
Pompeia - São Paulo, SP
CEP: 05017-020

Agendamento pelo Whatsapp: (11) 97658-6469

Veja o mapa