Yussef Ali Abdouni - Doctoralia.com.br
Especialista em mãos

Artigos

O que é a Fratura do Escafóide?

A mão é formada por inúmeros ossos e, para saber como ocorre uma fratura de escafoide, é preciso entender a anatomia da qual ele faz parte: o escafóide é um dos oito ossos que formam o carpo (popularmente conhecido como punho). Localizado na primeira fila do carpo, o osso escafoide está entre o rádio e o polegar, juntamente com os ossos semilunar, piramidal.

A fratura de escafóide é considerada frequente, sendo a segunda fratura mais comum na região do punho e a mais frequente envolvendo a região do carpo. Isso ocorre porque, em caso de queda, o osso escafoide é o primeiro a ter contato com o chão.

Quais são as causas?

A fratura de escafóide ocorre quando há impacto na região com hiperextensão do punho. Os pacientes mais atingidos por uma fratura de escafóide são aqueles que realizam atividades que possam impactar a região do carpo. A fratura pode ocorrer durante a prática de esportes, como o futebol e o basquete, ou até mesmo em acidentes domésticos após uma queda, ou acidente de carro.

Sinais e Sintomas

O paciente que sofre uma fratura de escafóide irá ter como sintomas dor no punho, inchaço, hematomas, e dificuldade de movimentar o punho. É importante que o paciente, após o impacto, consulte um médico ortopedista especialista em mãos: isso porque a fratura de escafóide, por não apresentar sintomas muito específicos, pode ser confundida com uma simples contusão ou entorse.

É possível que o paciente também apresente limitação ao realizar movimentos de envolvam a região, como abrir uma garrafa, segurar e levantar objetos, etc.

Diagnóstico

O diagnóstico da fratura de escafóide é feito com análise clínica e física, que envolvem a observação de sintomas e o histórico narrado pelo paciente. O médico ortopedista especialista em mãos irá realizar compressão axial no local do escafóide e, caso o paciente sinta dor no punho, a probabilidade de fratura é alta.
O diagnóstico será completado com exame de raio-x que, diferente de outros tipos de fratura, deve ser repetido uma semana após o trauma, isso porque no dia da fratura existe a possibilidade do exame não mostrá-la.
Caso o raio-x ainda assim não mostre nenhuma fratura na região, o diagnóstico poderá ser concluído com tomografia computadorizada, ou ressonância magnética. Em último caso o médico ortopedista especialista poderá solicitar uma cintilografia óssea.

Tratamento

O tratamento para a fratura de escafóide ainda é discutível devido ao processo de consolidação da fratura que, se não feita de maneira adequada, pode gerar dor na articulação e uma consolidação mais demorada que o normal, levando a possíveis complicações.
O médico ortopedista especialista em mãos pode optar por imobilizar o punho, englobando o polegar e o cotovelo – durante esse período o paciente será acompanhado e radiografias serão tiradas para analisar o progresso da consolidação da fratura. Após a retirada do gesso, em 6 a 8 semanas, o paciente será encaminhado para sessões de fisioterapia com o objetivo de melhorar a força e os movimentos do punho.

Nos casos mais graves o tratamento da fratura é feito com cirurgia, que consiste em usar um parafuso para unir os ossos.  Após a retirada dos pontos, o paciente será encaminhado para sessões de fisioterapia, não necessitando imobilização prolongada, como no tratamento conservador.

Complicações

Apesar de parecer simples, uma fratura de escafóide pode apresentar complicações relacionadas à pseudoartrose, necrose avascular e artrose pós-traumática.
A pseudoartrose acontece quando a fratura do osso não é consolidada corretamente, causando dor, fraqueza, limitação de movimentos e deformidade no punho.  

A necrose avascular, também conhecida como osteonecrose, ocorre quando há morte do tecido ósseo por falta de irrigação sanguínea no local, fazendo com que o paciente sinta dor no local até a articulação perder suas funções.

A artrose pós-traumática, também conhecida como osteoartrite, causa a degeneração da cartilagem que protege os ossos. Com esse desgaste, o dano também se estende aos ligamentos e articulações causando dor, inchaço e dificuldade de movimento, que acaba ‘travando’ as articulações. Os sintomas da artrose envolvem dor nas articulações, rigidez, fraqueza muscular, e inchaço. O paciente também pode sentir que as articulações do punho podem sofrer deformidades, típicas da doença, como dificuldade de movimentar a região (dobrar e flexionar as articulações). As articulações também podem ranger: isso acontece pelo desgaste da cartilagem que acaba expondo e deformando os ossos.

Mais Informações

É possível que durante o período de recuperação da fratura de escafóide haja uso de medicação para aliviar a dor. Ao sentir dor no punho e suspeitar de uma fratura na região, a primeira medida a ser tomada é consultar um médico ortopedista especialista em mãos: não tente cessar a dor sem a assistência de um profissional e evite qualquer tipo de automedicação.

Consultório Tatuapé

Rua Apucarana, 1312
Tatuapé - São Paulo - SP
CEP: 03311-002

Tel: (11) 2615-2787

Veja o mapa

Consultório Bela Vista

Rua Adma Jafet, 91
4º andar - Bloco E
Bela Vista - São Paulo, SP
CEP: 01308-050

Agendamento pelo Whatsapp: (11) 98388-1465

Veja o mapa